sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Quando os esquerdistas acusam alguém de fazer “justiça com as próprias mãos” (contra um bandido), eu aproveito para levantar a ficha deles nesse ramo (contra inocentes)

Blog

Felipe Moura Brasil

Cultura e irreverência


06/02/2014
às 16:56 \ Brasil

Quando os esquerdistas acusam alguém de fazer “justiça com as próprias mãos” (contra um bandido), eu aproveito para levantar a ficha deles nesse ramo (contra inocentes)

…a começar pela da presidente, é claro.

dilma_assombrapb
O motivo é a gritaria da canalhada em função do caso dos justiceiros que amarraram um marginal adolescente no poste, conforme descrito no último post. Só convém esclarecer primeiro, como já anotei no Facebook:

Não é uma verdade literal que os esquerdistas e seus comparsas do narcotráfico fazem “justiça” com as próprias mãos. De Mário Kozel Filho a Celso Daniel, passando por dezenas de milhares de homicídios anuais no Brasil, a gente sabe que eles preferem fazer com bombas, fuzis, pistolas e microondas.

Segue abaixo um artigo meu de abril de 2013, ao qual acrescento um apêndice no fim. No próximo post, vamos falar de “apologia ao crime”, levantando a ficha de jornalista de esquerda nesse ramo também.

A verdadeira insanidadeFelipe Moura Brasil

Dilma condenou as explosões na Maratona de Boston como um “ato insano de violência”. Mas não foi assim que ela começou a carreira? Ou não terá sido um “ato insano de violência” aquele que matou o soldado Mário Kozel Filho, de 18 anos, em junho de 1968? Foi o seu grupo, a Vanguarda Popular Revolucionária, que acelerou um carro-bomba, com vinte 20 quilos de dinamite, para dentro de um Quartel General em São Paulo, despedaçando o corpo do rapaz e ferindo mais seis militares.

Mário foi apenas o primeiro dos oito assassinados pela VPR nos tempos de Dilma, e ainda haveria mais cinco pela VAR-Palmares e três pelo Colina, os outros dois grupos que ela integrou, em total sanidade, quando lutava pela implantação de uma ditadura comunista no Brasil, com instruções e armas vindas do exemplar regime de Fidel Castro em Cuba.

Dilma expressou sua “solidariedade, em nome de todos os brasileiros, às vítimas e suas famílias”? Falou em “trágico incidente”? Não. Ajudou a criar a “Comissão da Verdade” para glorificar seus feitos terroristas como luta pela democracia e demonizar os inimigos da revolução. Tudo com o amparo de professores e jornalistas militantes, que bombardeiam há 40 anos a cabeça dos brasileiros, despedaçando seus neurônios com a falsificação da história.

Se o atentado da Maratona de Boston tivesse ocorrido no Brasil, o autor seria forte candidato a presidente de 2055. Como foi nos EUA, o autor terá de se contentar em ser o padrinho político e intelectual do futuro presidente. O amigo e ghost-writer de Obama, Bill Ayers, responsável por lançar sua carreira em Chicago com uma arrecadação de fundos em sua própria casa, no bairro onde Obama morava, também começou como Dilma.

Co-fundador do grupo revolucionário comunista Weather Underground, Ayers participou da plantação de uma porção de bombas, como na estátua de sua cidade dedicada a baixas policiais, em 1969 (estátua que foi reconstruída no ano seguinte e novamente bombardeada por integrantes de seu grupo); na sede do Departamento de Polícia de Nova York, em 1970; no Capitólio, em 1971; e no Pentágono, em 1972.

Hoje Ayers é uma figura estelar da educação americana, autor de livros, professor aposentado da Universidade de Illinois e agora professor visitante da Minnesota State University Moorhead, onde poderá mais uma vez celebrar a decadência econômica, política e cultural do “império americano”, lamentar o poderio militar do país e falar aos jovens da importância de serem “cidadãos do mundo”, como fez ano passado na Universidade de Oregon. Qualquer semelhança entre suas ideias e os atos de seu afilhado Obama contra a soberania nacional não são mera coincidência.

(A amizade íntima entre eles e a festinha para um na casa do outro foram negadas durante a campanha de 2008, mas admitidas por Ayers na semana passada, porque, com Obama reeleito, já não há mais o que temer.)

Duas ex-integrantes do Weather Underground também são hoje estrelas acadêmicas: a esposa de Ayers, Bernardine Dohrn, é professora de Direito da Northwestern University School of Law; e Kathy Boudin, condenada em 1984 por assassinato, da Columbia University. Todos empenhados em promover a “justiça social”, isto é, em tornar os EUA um grande Brasil socialista.

Se são radicais? Ora, radicais somos nós, que julgamos o terrorismo real e intelectual dos esquerdistas revolucionários tão repugnante quanto o da Maratona de Boston. Radical sou eu que reconheço que aquele terror, pregado abertamente por Karl Marx, tampouco é o que há de mais insano no mundo. O verdadeiro “ato insano” do nosso tempo foi o dos americanos, brasileiros e outros que deixaram essa gente bombástica subir ao poder.

*****

PESSOAS ASSASSINADAS PELA VPR– 26/06/68 – Mário Kozel Filho – Soldado do Exército – SP
- 27/06/68 – Noel de Oliveira Ramos – Civil – RJ
- 12/10/68 – Charles Rodney Chandler – Cap. do Exército dos EUA – SP
- 07/11/68 – Estanislau Ignácio Correia – Civil – SP
- 09/05/69 – Orlando Pinto da Silva – Guarda Civil – SP
- 10/11/70 – Garibaldo de Queiroz – Soldado PM – SP
- 10/12/70 – Hélio de Carvalho Araújo – Agente da Polícia Federal – RJ
- 27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ

PESSOAS ASSASSINADAS PELA VAR-PALMARES- 11/07/69 – Cidelino Palmeiras do Nascimento – Motorista de táxi – RJ
- 24/07/69 – Aparecido dos Santos Oliveira – Soldado PM – SP
- 22/10/71 – José do Amaral – Sub-oficial da Reserva da Marinha – RJ
- 05/02/72 – David A. Cuthberg – Marinheiro inglês – Rio de Janeiro
- 27/09/72 – Sílvio Nunes Alves – Bancário – RJ

PESSOAS ASSASSINADAS PELO COLINA
- 29/01/69 – José Antunes Ferreira – Guarda Civil – BH/MG
- 01/07/68 – Edward Ernest Tito Otto Maximilian Von Westernhagen – Major do Exército Alemão – RJ
- 25/10/68 – Wenceslau Ramalho Leite – Civil – RJ

Felipe Moura Brasil – http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Facebook e no Twitter.

Leia também:
- Vamos comparar Rachel Sheherazade e Francisco Bosco, em homenagem ao PSOL e ao Sindicato dos Jornalistas

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.
» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA





12 Comentários

  1. Wombatmucholoco
    -
    07/02/2014 às 10:40
    Caro Felipe,
    com a recusa das pessoas (a maioria) de chamar as coisas pelo nome que elas têm, não é de se espantar que as coisas tenham chegado onde chegaram.
    Se, o então candidato, José Serra tivesse feito uma campanha mais incisiva, apontando o comportamento criminoso dos seus adversários, talvez hoje tivéssemos um Brasil um pouco mais arrumado e teríamos evitado por mais tempo esta catástrofe chamada PT.
    Não acho que seria a solulção final para o nosso país (porque afinal PSDB é…PSDB) mas ainda seria melhor do que 12 anos de PT.
    Ter uma criminosa, homicida (ainda que tenha só participado na confecçaõ do plano) e ladra, no governo é de mais para qualquer país.
  2. Eliézer de Mello Silveira
    -
    07/02/2014 às 9:41
    Rachel tem razão! Onde está a imprensa ideológica a defender tais vítimas da var-palmares de Dilma? Onde estão os artistas da globo que quando não estão pedindo desculpas a criminosos, posam com eles em fotografias? Apoio Rachel.
  3. Celso
    -
    07/02/2014 às 8:22
    Parabens pelo excelente texto. Esta esquerda terrorista tem que ser desmascarada. Terrorista num passado recente, que hoje recebem indenizaçoes do governo, por terem matado pessoas inocentes.
  4. FORA BOLIVARIANOS!
    -
    07/02/2014 às 7:46
    Brasileiros, o q vcs acharam do Programa MAIS MORTOS, criado pela escumalha petralha! Sim, somados a esta lista de pessoas covardemente mortas, temos os nossos anuais CINQUENTA MIL ASSASSINATOS e SESSENTA MIL MORTES causados pelas leis BANDIDOFÍLICAS da corja vermelha!
  5. o desPTtizador
    -
    07/02/2014 às 7:43
    O 1o da lista, Mario Kozel F. servia com meu sogro na Polícia do Exército. Meu sogro estava no quartel quando o menino de 19 anos foi DESPEDAÇADO covardemente pela corja vermelha! Foi tudo muito ardiloso, uma emboscada q os agora ministros, deputados VERMELHOS armaram… o Mario Kozel F., na intenção de ajudar o q parecia ser um acidente, se aproximou de uma carro, o qual foi foi explodido! Essas histórias não interessam àquela Comichão da Verdade!
  6. Renan
    -
    07/02/2014 às 4:19
    Acertou na veia.
  7. Nilo
    -
    07/02/2014 às 0:21
  8. Anderson Silva, do âmago do vulcão carioca e enxugando gelo
    -
    06/02/2014 às 19:43
    Fico aqui pensando, tio pim, por que a lógica que culmina na indignação geral da população de bem sobre o destino proveitoso (e remunerado) dos algozes da Daniela Perez não pode ser a mesma em relação aos terroristas do passado que hoje lucram uma vida mansa sobre os dividendos de cadáveres inocentes, né!?
    .
    Texto formidável, Felipe. Tem mesmo que acabar com essa palhaçada e fazer essa gentalha que fica posando de pessoas sensatas, equilibradas, justas, democráticas, piedosas (vou me emocionar), tropeçar no próprio salto.
    .
    Abs, meu brother (e que papai-do-céu continue a iluminar essa cabeçinha raspada por muitos anos) ;¬)
  9. Julio
    -
    06/02/2014 às 19:31
    Caro Felipe,
    Rolou recentemente um debate dessa besta do Ayers contra o Dinesh D´Souza: http://www.dineshdsouza.com/archives/news/video-dsouza-vs-ayers-dartmouth/
    Foi ótimo ver esse terrorista abjeto ser humilhado. Adoraria ver uma análise sua sobre este debate, se você tiver interesse, é claro.
    Parabéns pelo trabalho!
    Abs.,
    Julio.
  10. Octávio
    -
    06/02/2014 às 18:55
    Foi assim que “eles” chegaram ao poder. Será que sairão pela via eleitoral? Que ingenuidade!
  11. Eduardo
    -
    06/02/2014 às 18:30
    Ser petralha é chamar de virtude os vícios dos amigos e chamar de vícios até as virtudes dos inimigos.
    Ser petralha é desenvolver uma inimizade com quem não pertence à mesma chapa eleitoral.
    Ser petralha é ter uma norte moral ligado à seu bolso e às vantagens que pode amealhar.
    Ser petralha é mentir. Mentir mesmo quando não precisa. Mentir mesmo quando não adianta e mentir até quando está mentindo.
    Ser petralha é coisificar a vida de alguns, porque não é útil e coisificar a vida de outros, porque é mais útil ainda.
    Ser petralha é ter a ética de um partido que não tem ética. Serve o momento e o momento que servir é a direção que se toma com ética.
    Ser petralha é corromper e ser corrompido enquanto grita que tem gente corrompendo.
    Ser petralha é linchar e vilipendiar quem elogiava no instante anterior, só porque agora já não serve mais à mesma causa.
    Ser petralha é se rebaixar a sub humano. Só para conseguir uma boquinha no poder.
    Ser petralha é se deixar usar, usar os amigos e a família para obter uma vantagem.
    Ser petralha é buscar destruir sem construir. Fazer do pior o melhor e atingir o poder prometendo acabar com tudo isso que está aí. E realmente acabar com tudo: Petrobrás, Brics, poupança, inflação zero, etc.
    Ser petralha é vir ler os blogs dos conservadores, ficar com raivinha e depois querer postar comentários, para ver se conseguem acontecer.
    Ser petralha é ruim de doer.
  12. Elias
    -
    06/02/2014 às 18:04
    Esses que morreram são mártires sacrificados na luta contra a tirania e pela instauração da democracia socialista, então suas mortes foram justificadas como uma espécie de legítima defesa antecipada dos revolucionários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário