quarta-feira, 5 de agosto de 2009

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL E SUA CRUZADA PELO NATURALISMO, MARXISMO, SECULARISMO E PÓS-MODERNISMO.

É lamentável o crescimento de operadores do direito que não vivem uma vida direita. A corrupção jurídica está aumentando. É triste que muitos dos representantes do direito são cativos ao comportamento imoral e inimigos dos valores tradicionais e naturais dos bons costumes e principalmente da epistemologia e princípios de retidão do cristianismo.

Recentemente, em uma disciplina de direito em uma determinada faculdade de direito, este blogueiro, durante a prova, o professor teve que sair para resolver um certo barulho da sala vizinha, foi um prazo de 5 ou 8 segundos, o suficiente para a maioria dos alunos tentar colar ou ver a cola durante a prova.

Alunos de direito, futuros advogados, juízes, delegados, promotores e ministério público federal, têm crescido no "conhecimento-científico-relativista-secularista" juntamente com o "analfabetismo-ético-moral".

Muitos operadores do direito são escravos de uma "hermenêutica-relativista pós-modernista".

Em nome deste discurso mediocre de "Estado laico" ou "laicidade", os pobres intelectuais jurídicos desconhecem a prática da moral e os princípios crstãos responsáveis pelas sociedades desenvolvidas.

A decadência ocidental começou com os juristas que tem abandonado os princípios cristãos da civilidade.

Enquanto o Minístéro Público Federal quer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas, vamos começar uma campanhar para anexar os 10 MANDAMENTOS em todas as repartições públicas.


Prof. Luis Cavalcante
http://luis-cavalcante.blogspot.com

*

Reportagem abaixo:

MPF pede retirada de símbolos religiosos de repartições públicas

O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo ajuizou ação civil pública para obrigar a União a retirar todos os símbolos religiosos afixados em locais de atendimento ao público nas repartições federais do estado.

Na ação, ajuizada no último dia 31, o Ministério Público Federal também pede que seja estabelecida multa simbólica de R$ 1 por dia em caso de descumprimento da determinação judicial.

A ação pede ainda que a Justiça estipule prazo de 120 dias para retirada dos símbolos religiosos. Segundo o MPF, há vários deles espalhados por prédios da administração pública federal no estado.

De acordo com o MPF, a exposição de símbolos religiosos em locais públicos contraria dispositivo constitucional segundo o qual o Brasil é um Estado laico, no qual não pode haver vinculação entre o Poder Público e determinada religião ou igreja.

"Quando o Estado ostenta um símbolo religioso de determinada religião em uma repartição pública está discriminado todas as demais ou mesmo quem não tem religião, afrontando o que diz a Constituição”, argumenta o MPF.

Data: 5/8/2009 08:43:43 - Fonte: Agência Brasil
Fonte: http://www.creio.com.br/2008/noticias01.asp?noticia=5505

Nenhum comentário:

Postar um comentário